Uso da avaliação por portfólio no ensino supeior militar: uma experiencia.

Hércules Guimarães Honorato

Resumen


Resumo

Este artigo é uma pesquisa bibliográfica exploratória, de abrangência qualitativa, que teve por objetivo refletir sobre o sentido da avaliação no ensino superior militar, bem como apresentar algumas reflexões iniciais a partir de uma experiência sobre o uso de portfólio como alternativa de avaliação do processo de ensino e aprendizagem. O cenário do experimento foi a Escola Naval, instituição situada na Cidade do Rio de Janeiro. A disciplina escolhida para a realização da experiência foi a de Cultura Organizacional Militar, porque teve o apoio de sua docente e a turma era pequena, doze alunas. O instrumento de coleta de dados foi uma entrevista semiestruturada com a referida professora. O portfólio é uma coleção dos trabalhos realizados pelos estudantes, de construção de conhecimentos de forma contínua e reflexiva, além de uma ferramenta estratégica inovadora de aprendizagem e de avaliação, que procura, por meio de diálogos e de um acompanhamento das atividades propostas, buscar caminhos para o que não foi ainda aprendido pelo aluno, superando as tradicionais avaliações por provas. O ensino superior militar é considerado de qualidade, porém ainda utiliza a avaliação excludente e hierarquizadora, e os seus docentes são profissionais qualificados e que têm uma relação de força e poder perante os seus alunos, tanto na relação de sala de aula como na transmissão de conteúdos. Ao final, essa experiência foi considerada importante e positiva, pois a docente ousou, desafiou e estimulou suas alunas a construírem conhecimento através dos trabalhos desenvolvidos dentro e fora da sala de aula, e a se autoavaliarem. O uso do portfólio ainda não é muito estudado e explorado no Brasil, por isso mesmo espera-se que este estudo seja relevante no desenvolvimento de alternativas formativas inovadoras, saindo de uma visão pontual da avaliação apenas como medida classificatória e excludente.

Resumen

Este artículo es resultado de una búsqueda bibliográfica exploratoria, de alcance cualitativo, que tuvo como objetivo reflexionar sobre el sentido de la evaluación en la educación superior militar, así como presentar algunas consideraciones iniciales a partir de una experiencia sobre el uso del portafolio como alternativa de evaluación del proceso de enseñanza y aprendizaje. El escenario del experimento fue la Escuela Naval, institución ubicada en la Ciudad de Rio de Janeiro. La disciplina escogida para la realización de esta experiencia fue la Cultura Organizacional Militar, porque tuvo el apoyo de la docente y la clase era pequeña, doce alumnas. El instrumento de colecta de datos fue una entrevista semiestructurada con la referida profesora. El portafolio es una colección de trabajos realizados por los estudiantes, de construcción de conocimientos de forma continua y reflexiva, así como una herramienta estratégica innovadora de aprendizaje y evaluación, que busca, a través del diálogo y el seguimiento de actividades propuestas, encontrar caminos para lo que aún no fue aprendido por el alumno, superando las tradicionales pruebas de evaluación. La educación militar superior es considerada de calidad, pero sigue utilizando la evaluación excluyente y jerarquizada, sus profesores son profesionales calificados que tienen una relación de fuerza y poder ante sus alumnos, tanto en la relación en el salón de aula como en la transmisión de contenidos. Al final, esta experiencia fue considerada importante y positiva, porque la profesora se atrevió, desafió y animó a sus alumnas para que construyesen conocimiento a través de los trabajos desarrollados dentro y fuera del aula y a su autoevaluación. El uso del portafolio aun no es muy estudiado o explorado en Brasil, por eso se espera que este estudio sea relevante en el desarrollo de alternativas de formación innovadoras, saliendo de una visión puntual de la evaluación como medida clasificatoria y excluyente.


Texto completo:

PDF

Referencias


Alves, L. P. (2004). Portfólios como instrumentos de avaliação dos processos de ensinagem. In L. das G. C. Anastasiou & L. P. Alves (Orgs.), Processos de ensinagem na universidade: Pressupostos para as estratégias de trabalho em aula (3a ed.) (pp. 101-120). Joinville, SC: Ed.UNIVILLE.

Ambrósio, M. (2013). O uso do portfólio no ensino superior (2a ed.). Petrópolis, RJ: Vozes.

Anastasiou, L. das G. C. (2004). Ensinar, aprender, apreender e processos de ensinagem. In L. das G. C. Anastasiou & L. P. ALVES (Orgs.). Processos de ensinagem na universidade: Pressupostos para as estratégias de trabalho em aula (3a ed.) (pp.11-38). Joinville, SC: Ed.UNIVILLE.

Araujo, Z. R. & Alvarenga, G. M. (2006, setembro/dezembro). Portfólio: uma alternativa para o gerenciamento das situações de ensino e aprendizagem. Estudos em Avaliação Educacional, 17(35), 187-210.

Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. (1996, 23 de dezembro). Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. 1996. Diário Oficial da União, seção1.

Bruzzi, R. C. V., Sá, A. V. M., Valls, R. P. & Oliveira B. C. de (2001, julho/dezembro). Auto-avaliação no ensino superior: um espelho chamado portfólio. Linhas críticas, Brasília, DF, 7(13), 289-303. Recuperado em 17 maio 2016, de http://periodicos.unb.br/index.php/linhascriticas/article/view/6543

Chueiri, M. S. F. (2008, janeiro/abril). Concepções sobre a avaliação escolar. Estudos em Avaliação Educacional, 19(39), 49-64.

Gatti, B. A. (2003, janeiro/junho). O professor e a avaliação em sala de aula. Estudos em Avaliação Educacional, 27, 97-114.

Gil, A. C. (2009). Métodos e técnicas de pesquisa social (6a ed.). São Paulo: Atlas.

Hadji, C. (2001). A avaliação desmistificada. Porto Alegre: Artmed.

Ivenicki, A. & Canen, A. (2016). Metodologia da Pesquisa: rompendo fronteiras curriculares. Rio de Janeiro: Ciência Moderna.

Libâneo, J. C. (2005). As Teorias Pedagógicas Modernas Revisitadas pelo Debate Contemporâneo na Educação. In J. C. Libâneo & A. Santos (Orgs.). Educação na era do conhecimento em rede e transdisciplinaridade (Cap.1). Campinas, SP: Alínea, 16-58.

Luckesi, C. C. (2011). Avaliação da aprendizagem: componente do ato pedagógico. São Paulo: Cortez.

Perrenoud, P. (1999). Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens - entre duas lógicas (P.C. Ramos, trad.). Porto Alegre: Artmed.

Rangel, J. N. M. (2003, julho/dezembro). O portfólio e a avaliação no Ensino Superior. Estudos em Avaliação Educacional, 28, 145-160. Recuperado em 17 maio 2016, de http://www.fcc.org.br/pesquisa/publicacoes/eae/arquivos/1148/1148.pdf

Rangel, J. N. M., Nunes, L. C. & Garfinkel, M. (2006, setembro/dezembro). O portfólio no ensino superior: práticas avaliativas em diferentes ambientes de aprendizagem. Pro-posições, 17(3), 167-180. Recuperado em 17 maio 2016, de http://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8643614

Torres, S. C. G. (2008, maio/agosto). Portfólio como instrumento de aprendizagem e suas implicações para a prática pedagógica reflexiva. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, 8(24), 549-561. Recuperado em 17 maio 2016, de www2.pucpr.br/reol/index.php/dialogo?dd99=pdf&dd1=2040

Vieira, M. L. & De Sordi, M. R. L. (2012, abril). Possibilidades e limites do uso do portfólio no trabalho pedagógico no ensino superior. Revista e-curriculum, São Paulo, 8(1), 1-27. Recuperado em 17 maio 2016, de http://revistas.pucsp.br/index.php/curriculum/article/view/9044


Métricas de artículo

Cargando métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.