Centro de referência em tecnologia assistiva para a educação profissional (jun, 2014)

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Rosa Bez
Sandra Oliviera
Leo Weber
Breno da Cruz
H V Sardagna
Resumen

 Este artigo apresenta o Centro de Referência em Tecnologia Assistiva para a Educação Profissional da Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha, que está sendo implementado na região do Vale do Rio dos Sinos, no Rio Grande do Sul, Brasil. O projeto tem como objetivo implementar um centro de referência em tecnologia assistiva para a educação profissional, ampliando a oferta de vagas na educação profissional através da criação de novos cursos e contemplando as políticas atuais de inclusão da pessoa com deficiência no mercado de trabalho. Apoiado em um Projeto Pedagógico Preliminar que justifica a construção de espaço físico que contemple a ampliação das vagas e as atividades de pesquisa do Centro de Referência em Tecnologia Assistiva. A respectiva proposta revela o desejo da Fundação Liberato em comprometer-se com mudanças significativas no lugar ocupado pelas pessoas com deficiência na sociedade e no mundo do trabalho, contribuindo para a constituição de espaços mais inclusivos.

Palabras clave

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Biografía del autor/a / Ver

Rosa Bez, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

M. R. BEZ, doutora do Programa de Pós-Graduação em Informática na Educação – Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Brasil 

Sandra Oliviera, UNISINOS

S. OLIVEIRA, doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação – UNISINOS, Brasil

Leo Weber, undação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha,

diretor executivo da Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha, Brasil.

Breno da Cruz, Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha

 J. B. da CRUZ, professor da Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha, Brasil. 

H V Sardagna, undação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha,

 H. V. SARDAGNA, professora da Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha, Brasil.

Referencias / Ver

BRASIL. MEC. Plano Nacional de Educação. Lei 10.172/2001. Brasília, 2001.

PASSERINO, Liliana M. Salas de Recursos, Tecnologias Assistivas e Processos de Inclusão Escolar a partir da perspectiva sócio-histórica. In: MORAES, Salete C. de. (org.). Educação Inclusiva: diferentes significados. Porto Alegre: Evangraf, 2011.

SILVEIRA, Sheila Torma. Aceleração e enriquecimento: propostas de atendimento educacional ao aluno com altas habilidades/superdotação. In: MORAES, Salete C. de. (org.). Educação Inclusiva: diferentes significados. Porto Alegre: Evangraf, 2011.

TEZZARI, Mauren L. A longa e difícil trajetória das pessoas com deficiência intelectual. In: MORAES, Salete C. de. (org.). Educação Inclusiva: diferentes significados. Porto Alegre: Evangraf, 2011.

THOMA, Adriana da Silva. Educação Bilíngue para surdos no contexto da educação inclusiva. In: MORAES, Salete C. de. (org.). Educação Inclusiva: diferentes significados. Porto Alegre: Evangraf, 2011.

CARVALHO, Rosita Edler. Escola Inclusiva: a reorganização do trabalho pedagógico. 3ª edição. Porto Alegre: Editora Mediação, 2010.

MANTOAN, M.T.E. Inclusão escolar. O que é? Por que? Como fazer? SP. Ed. Moderna, 2003.

MATURANA, H. A ontologia da realidade. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2002

BRASIL. Casa Civil. Decreto nº 6.949, de 25 de agosto de 2009. Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência. Disponível em <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/decreto/d6949.htm>. Acesso em abril, 2014.

BRASIL. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Decreto nº 5.626 de 22 de dezembro de 2005.

BRASIL. Casa Civil. Decreto nº 6.949, de 25 de agosto de 2009. Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência. Disponível em <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/decreto/d6949.htm>. Acesso em abril, 2014.

BRASIL.MEC/SEESP. Política Nacional de Educação Especial no Brasil na Perspectiva da Educação Inclusiva. Documento elaborado pelo Grupo de Trabalho nomeado pela Portaria nº 555/2007, prorrogada pela Portaria nº 948/2007, entregue ao Ministro da Educação em 07 de janeiro de 2008. Brasília, 2008.

OMS. Organização Mundial da Saúde. Relatório Mundial sobre a Deficiência. Secretaria dos Direitos Humanos: Estado de São Paulo, 2011.

FUNDAÇÃO LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA.PE. Planejamento Estratégico 2008-2015. Novo Hamburgo: Fundação Liberato Salzano Vieira da Cunha, 2008.

BELLI, Isabella. O sobe e desce do mercado de trabalho: no mundo, no país e aqui na região. In: Revista Negócios

BRASIL.INEP. Censo Escolar 2013. Instituto nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Disponível em< http://portal.inep.gov.br/basica-censo-escolar-matricula>. Acesso em março de 2014.

BRASIL.IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?lang=&codmun=431340&search=rio-grande-do-sul. Acesso em março de 2014.

ISOCIAL. Pessoas com deficiência: expectativas e percepções do mercado de trabalho. I Social Consultoria. Versão 2012. Disponível em http://www.isocial.com.br/download/contratacaodedeficientes_deficiencia_relatorio-2012.pdf. Acesso em março, 2013.

Citado por