Centro de referência em tecnologia assistiva para a educação profissional (jun, 2014)

Contenido principal del artículo

Autores

Rosa Bez Sandra Oliviera Leo Weber Breno da Cruz H V Sardagna

Resumen

 Este artigo apresenta o Centro de Referência em Tecnologia Assistiva para a Educação Profissional da Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha, que está sendo implementado na região do Vale do Rio dos Sinos, no Rio Grande do Sul, Brasil. O projeto tem como objetivo implementar um centro de referência em tecnologia assistiva para a educação profissional, ampliando a oferta de vagas na educação profissional através da criação de novos cursos e contemplando as políticas atuais de inclusão da pessoa com deficiência no mercado de trabalho. Apoiado em um Projeto Pedagógico Preliminar que justifica a construção de espaço físico que contemple a ampliação das vagas e as atividades de pesquisa do Centro de Referência em Tecnologia Assistiva. A respectiva proposta revela o desejo da Fundação Liberato em comprometer-se com mudanças significativas no lugar ocupado pelas pessoas com deficiência na sociedade e no mundo do trabalho, contribuindo para a constituição de espaços mais inclusivos.

Detalles del artículo

Referencias

[1] BRASIL. MEC. Plano Nacional de Educação. Lei 10.172/2001. Brasília, 2001.
[2] PASSERINO, Liliana M. Salas de Recursos, Tecnologias Assistivas e Processos de Inclusão Escolar a partir da perspectiva sócio-histórica. In: MORAES, Salete C. de. (org.). Educação Inclusiva: diferentes significados. Porto Alegre: Evangraf, 2011.
[3] SILVEIRA, Sheila Torma. Aceleração e enriquecimento: propostas de atendimento educacional ao aluno com altas habilidades/superdotação. In: MORAES, Salete C. de. (org.). Educação Inclusiva: diferentes significados. Porto Alegre: Evangraf, 2011.
[4] TEZZARI, Mauren L. A longa e difícil trajetória das pessoas com deficiência intelectual. In: MORAES, Salete C. de. (org.). Educação Inclusiva: diferentes significados. Porto Alegre: Evangraf, 2011.
[5] THOMA, Adriana da Silva. Educação Bilíngue para surdos no contexto da educação inclusiva. In: MORAES, Salete C. de. (org.). Educação Inclusiva: diferentes significados. Porto Alegre: Evangraf, 2011.
[6] CARVALHO, Rosita Edler. Escola Inclusiva: a reorganização do trabalho pedagógico. 3ª edição. Porto Alegre: Editora Mediação, 2010.
[7] MANTOAN, M.T.E. Inclusão escolar. O que é? Por que? Como fazer? SP. Ed. Moderna, 2003.
[8] MATURANA, H. A ontologia da realidade. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2002
[9] BRASIL. Casa Civil. Decreto nº 6.949, de 25 de agosto de 2009. Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência. Disponível em . Acesso em abril, 2014.
[10] BRASIL. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Decreto nº 5.626 de 22 de dezembro de 2005.
[11] BRASIL. Casa Civil. Decreto nº 6.949, de 25 de agosto de 2009. Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência. Disponível em . Acesso em abril, 2014.
[12] BRASIL.MEC/SEESP. Política Nacional de Educação Especial no Brasil na Perspectiva da Educação Inclusiva. Documento elaborado pelo Grupo de Trabalho nomeado pela Portaria nº 555/2007, prorrogada pela Portaria nº 948/2007, entregue ao Ministro da Educação em 07 de janeiro de 2008. Brasília, 2008.
[13] OMS. Organização Mundial da Saúde. Relatório Mundial sobre a Deficiência. Secretaria dos Direitos Humanos: Estado de São Paulo, 2011.
[14] FUNDAÇÃO LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA.PE. Planejamento Estratégico 2008-2015. Novo Hamburgo: Fundação Liberato Salzano Vieira da Cunha, 2008.
[15] BELLI, Isabella. O sobe e desce do mercado de trabalho: no mundo, no país e aqui na região. In: Revista Negócios
[16] BRASIL.INEP. Censo Escolar 2013. Instituto nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Disponível em< http://portal.inep.gov.br/basica-censo-escolar-matricula>. Acesso em março de 2014.
[17] BRASIL.IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?lang=&codmun=431340&search=rio-grande-do-sul. Acesso em março de 2014.
[18] ISOCIAL. Pessoas com deficiência: expectativas e percepções do mercado de trabalho. I Social Consultoria. Versão 2012. Disponível em http://www.isocial.com.br/download/contratacaodedeficientes_deficiencia_relatorio-2012.pdf. Acesso em março, 2013.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.